O CINEMA DE ISRAEL

Por Lara Buitron

O cinema de Israel existe desde 1948, sua produção se intensificou a partir de 1954, quando o Parlamento israelense aprovou a Lei de Incentivo aos Filmes Israelenses.

Porém, a produção começou a ficar mais sólida a partir da década de 70, quando a produção relativamente escassa começou a se tornar maior, saindo de uma média de cinco filmes por ano para quase quinze. Foi no final dos anos de 1970 que fora criado o Israel Film Found, em virtude da necessidade de um fundo público para viabilizar a produção de filmes de cineastas israelenses, o fundo era, inicialmente, voltado pra “filmes de arte”, mas a partir de 2000, expandiu seu leque e atualmente participa de todas as etapas de produção, “da ideia ao pôster”.

Inauguradas na década de 1970 encontramos Cinematecas que funcionam até hoje, que se dedicam a promover o cinema nacional e formar público, são elas as Cinematecas de Tal Aviv, Jerusalém e Haifa. Também com esse objetivo foram criados diversos festivais de cinema, entre eles o mais famoso e aclamado é Haifa International Film Festival.

A partir de 2000 encontramos uma melhoria técnica nos filmes e o quase abandono das temáticas políticas, o que influenciou o crescimento do público (tanto nacional como internacional), além do aumento do financiamento estatal e da indústria televisiva. O governo israelense hoje obriga que de TV financie produções de filmes cinematográficos em troca dos seus direitos de transmissão. Além disso, os royalties que as empresas de televisão costumavam pagar ao governo, agora são destinados à indústria cinematográfica de Israel.

O Centro do Filme Israelense, uma divisão do Ministério de Indústria e Comércio, promove a produção cinematográfica em Israel, tanto de produção local quanto estrangeira, prestando os mais variados serviços, desde organização de contatos profissionais até oferecimento de incentivos financeiros, o que estimula a existência bastante grande de co-produções no país (a França é o principal parceiro cinematográfico de Israel).

Haifa International Film Festival

O Haifa IFF aconteceu pela primeira vez em 1983, foi o primeiro festival internacional de cinema israelense, ele acontece no Mount Carmel, com vista para o Mar Mediterrâneo, na cidade de Haifa, que é um símbolo de paz em um Estado de guerra.

O Festival conta com três principais competições: o Prêmio Golden Anchor, para o melhor filme produzido no Mediterrâneo; o Filmmakers of Tomorrow, feita em colaboração com a FEODORA – Federação de Críticos de Cinema da Europa e do Mediterrâneo; e a Israeli Film Competition, onde existem diversos prêmios por categoria (longa, curta, documentário, atuação, seriados para TV, etc).

Dentre muitas coisas interessantes o festival estimula o encontro de cineastas israelenses com investidores internacionais, tanto de cinema como de televisão, nessa parte do evento projetos são avaliados e julgados, são consideradas as produções tanto só roteirizadas como já filmadas.

 Israel Film Found

Fundado em 1979 para “combater” as comédias de baixo orçamento e estimular a produção dos “filmes de arte” no país, o Israel Film Found está até hoje na ativa e é considerado a mais importante fundação e fonte de renda cinematográfica do país. Com o passar dos anos o fundo começou a financiar não só “filmes de arte”, funcionando como um tipo de edital, que hoje apoia, financia e dá consultora para projetos do ponto inicial da ideia e desenvolvimento do roteiro até a produção completa do filme incluindo marketing e distribuição. Como parte de sua atividade, o fundo atua como promotor do filme e apresenta o filme nos maiores festivais do mundo.

Anualmente o fundo investe 6 milhões de dólares em longas-metragens rodados em Israel, seja produzindo ou lançando no exterior. Anualmente são recebidos 140 roteiros, dos quais 15 são selecionados e mais 30 filmes recebem apoio do fundo. Desde seu nascimento, ele já apoiou mais de 340 completos filmes longa-metragem. O fundo é apoiado pelo governo e é uma instituição sem fins lucrativos.

Para estimular a indústria cinematográfica local as condições são que 50% do orçamento deverá ser gasto em Israel ou 70% do orçamento de salários deverá ser gasto com o pagamento da equipe israelense. E o diretor ou roteirista deverão ser israelenses ou ter residência permanente no país. Além do que o fundo poderá fazer após esta etapa “recomendações finais” sobre o projeto, ou seja, tem direito ao corte final, como algumas produtoras americanas fazem.

As submissões para avaliação são continuas e as avaliações levam de 6 meses a um ano. Caso selecionado, o projeto terá direito à preparação do orçamento, plano de negócios, consultoria legal e financeira para o filme.

O Fundo obedece às normas regulamentadas pela “Nova Lei do Cinema”, de 2001, que é quem exige que:

1 – Não menos do que 50 % do “abaixo da linha” deve ser gasto em Israel.

2 – Nada menos que 70% do orçamento previsto para os salários devem ser pagos à equipe israelense e elenco.

3 – Ou o diretor ou o roteirista deve ser cidadãos israelenses ou residentes permanentes de Israel.

Com os países com os quais Israel tem um acordo oficial de co- produção em vigor, as regras, regulamentos e as condições definidas e especificadas no acordo irá prevalecer e anular os pontos 1, 2 e 3 acima mencionados.

Centro do Filme Israelense

O Centro do Filme Israelense é uma divisão do Ministério de Indústria e Comércio, que já diz bastante sobre o Centro e sobre como o cinema é visto como indústria emergente e bastante rentável para o governo de Israel.

É ele que promove a produção cinematográfica em Israel, tanto a produção local quanto a estrangeira, oferecendo os mais variados serviços, desde organização de contatos profissionais até incentivos financeiros. Ele apoia os festivais como o de Haifa e regulamenta as leis de audiovisual.

Os gêneros cinematográficos:

50’s – Dramas sionistas, filmes de guerra, ideologia hebrárica

60/70’s – cinema mais social (inspirado no cinema francês), novos imigrantes, tensões entre as comunidades judaicas, comédias de baixo orçamento

2000 – experiências pessoais com as guerras, tensões árabes-israelenses, holocausto, identidade judia, cotidiano israelense.

Cinematecas

Desde a década de 1970 a Cinemateca de Jerusalém tem estimulado a formação de público na capital, além de salas de projeções, exposições e atividades internacionais, a Cinemateca conta também com duas armas essenciais para a formação de público: um festival internacional anual, que acontece desde 1984, não competitivo; e cursos de audiovisual que estimulam a análise crítica. Esses dois trunfos também são incorporados pelas demais Cinematecas espalhadas pelo país (Tel Aviv e Haifa).

REFERÊNCIAS

http://filmfund.org.il/default.asp?id=82

http://www.boxofficemojo.com/intl/israel/?yr=2013&wk=50&p=.htm

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s